fbpx
parallax background

biografia


Marcio Juliano é um artista brasileiro. Melancólico por natureza, sempre que possível, recorre ao bom humor para atravessar os invernos rigorosos de Curitiba, sua cidade natal. Sempre gostou de cantar e tem sua relação com a música entrelaçada à sua vivência no teatro, onde começou cedo, aos 15 anos. De lá pra cá escreveu, compôs, atuou, dirigiu, dançou, operou luz, foi contra regra, produziu. Considera o teatro sua escola, onde aprendeu a estar no coletivo, criar e realizar. Não é à toa que as suas primeiras experiências cantando foram no palco, em peças, musicais experimentais e performances. Participou de corais e inúmeros grupos e companhias de teatro, até que, em 2005, ao lado de Glaucia Domingos, sua parceira e sócia, fundou a Cia Ilimitada, produtora cultural onde realizam seus projetos. Foi aluno do Conservatório de MPB de Curitiba entre 1995 e 1998, onde teve a oportunidade de conhecer artistas que até hoje influenciam seus trabalhos, como o clarinetista Sérgio Albach, que em 2006 fez a direção musical do seu primeiro show, Noël, projeto cênico musical em homenagem a Noel Rosa, com direção de Marcio Abreu e iluminação de Nadja Naira, outra parceira que colabora em seus projetos. Com Noël, que ainda faz parte do seu repertório, Marcio gravou seu primeiro disco (2009) e visitou teatros de 25 cidades brasileiras, em mais de 70 apresentações, que tiveram um público de 50mil expectadores. Foi em Noël que Marcio aprendeu a ser instrumento para o canto, ter a letra como dramaturgia, escutar os músicos para criar diálogo e presença. Através das composições de Noel Rosa, conheceu as interpretações de Mário Reis, Almirante, Francisco Alves, Aracy de Almeida, Carmen Miranda, Silvio Caldas. Artistas que inspiram e guiam seu canto até hoje. Seu segundo show, NO SAMBA (2015/2016), com direção musical de Gabriel Schwartz, abordou um vasto repertório da Época de Ouro, período da música brasileira que vai entre 1929 e 1945. Neste trabalho experimentou o diálogo com projeções mapeadas e áudios sincronizados, criando performances interativas. Seu terceiro e mais recente show, Outro Samba (2019/2020), é fruto da experiência destes dois trabalhos anteriores. O repertório faz uma releitura das composições da Época de Ouro, com arranjos autorais e contemporâneos. Tem direção musical de Sérgio Albach e direção cênica do próprio Marcio, tendo iluminação e assistência de direção de Nadja Naira. O projeto inclui a gravação de CD, LP e também uma experiência audiovisual na produção de clipes que compõe um DVD e podem ser conferidos no site do artista: www.marciojuliano.com.br. Em Outro Samba, Marcio está acompanhado por um time de virtuoses: Luís Rolim (percussão e bateria), Lucas Melo (Violão de 7 cordas), Daniel Migliavacca (bandolim e violão tenor) e Sérgio Albach (clarone e clarinete). No disco e DVD, muitos convidados: Orquestra à Base de Sopro de Curitiba, Raul de Souza, Mônica Salmaso, Mano a Mano Trio, Uyara Torrente e mais. Nos shows ao vivo, alguns destes artistas contracenam com Marcio através de projeções mapeadas. Atualmente Marcio divide seu tempo entre os projetos que realiza pela Cia ilimitada e a direção artística de eventos corporativos. Otimista, vive como artista autônomo e cria seus dois filhos, Ananda e Raduan, na cidade Curitiba.

inscreva-se